quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Dia de festa: Chapeuzinho Vermelho Alice fez 3




Nem imaginava que esse dia ia chegar tão rápido... mas chegou gente! Alice fez 3 anos. 

Passa tão rápido essa fase gente, o tempo é muito cruel. Ontem mesmo ela era um bebezinho lindo que ficava em meus braços. 
Hoje já está enorme, correndo por todos o lados e brincando de princesa e rainha. 
Além disso tudo já fala de tudo viu, e, tem uma personalidade forte e decidida. Foi ela mesma que escolheu o tema dessa festa. E digo mais, já escolheu a do próximo ano também viu. 
A escolha primeira dela foi do Lobo Mau. Sim, ela queria uma festa do Lobo Mau. Conversamos muito com ela. e ficou decidido pela festa da Chapeuzinho Vermelho. 
Preparamos tudo com muito carinho e amor e tudo foi feito em casa por mim. 
Vamos as fotos: 















As fotos forma feitas por nossa amiga fotografa Andressa Oliveira
A decoração foi alugada com a Turminha Festeira
Caso queira contratar um dos dois é só entrar em contato com eles clicando nos nomes. Tá bom. 
Espero que tenham gostado e até a próxima.
Beijos 

terça-feira, 1 de agosto de 2017

DIA MUNDIAL DA AMAMENTAÇÃO



Olá pessoal tudo bem,

Hoje dia primeiro de agosto é considerado o Dia Mundial da Amamentação. Então fiquei pensando no que escreveria sobre esse dia e resolvi que nada melhor do que falar da minha experiência. Alice tem 3 anos e amamento há 3 anos. Sim, Alice ainda não parou de mamar, e sinceramente, acredito que não vai parar de mamar tão cedo.

Não é fácil, nunca foi. Como tudo o que fazemos pela primeira vez, requer disposição para aprender. É um momento mágico auto-conhecimento. Você encontrará a melhor posição para amamentar, a forma como segurará o bebê com mais facilidade...

Alice nasceu com 41 semanas e meia de uma cesárea de emergência, como em toda cesárea ela foi pro banho antes de vir pra mim. Eu estava muito fraca, por ter tido uma hemorragia e não conseguia segura-la então meu esposo me ajudou. O primeiro mês de amamentação não foi fácil, nenhum pouco, sangrou, doeu muito, muito mesmo. E foi por meio de muita oração e muito apoio dos meus pais, do meu esposo e da pediatra da Alice que eu consegui continuar amamentando.

A força e a confiança que cada uma dessas pessoas me deram foi o que me ajudou a continuar todos os dias, mesmo quando eu chorava de dor, minha mãe estava lá do meu lado, me auxiliando e me dizendo para manter a calma que eu iria conseguir. Aprendi a amamentar. Aprendi a fazer a pega correta e a retirar Alice na hora certa do peito para que ela não me mordesse. Alice não usou chupetas,  mamadeiras nem afins. Foi uma escolha minha não utilizar nenhum desses produtos com ela.

Esse texto é um desabafo, muitas pessoas diziam que eu não conseguiria amamentar, que eu não daria conta, que era desnecessário que não sustentava. Mas eu digo pra você futura mãe, faça suas próprias escolhas e confie em você. Existem muitas consultoras em amamentação e muitas informações a sua disposição na internet. Conheça e utilize-se dessa época maravilhosa que é a gravidez para se informar o máximo possível sobre a amamentação, o parto e tudo o que achar importante sobre o bebê. Essa é a época de aprender...

Estamos juntas nessa viu! Se precisar de mim pode me chamar viu.
Me envie um e-mail que conversamos!
Beijos e até a próxima






terça-feira, 14 de março de 2017

Minha filha só chora comigo?


  Um dia desses eu cheguei em casa do trabalho e logo em seguida Alice começou com choro e birra. Ai minha mãe lançou essa:  "Foi só a sua mãe chegar que começou essa birra né!" Depois disso fiquei pensando sobre a minha capacidade de ser mãe. Se ela só faz birra comigo é por que eu não sei impor limites né?! Talvez eu não seja uma boa mãe, não saiba educar. 

  Mas isso não faz muito sentido. Porque eu sou uma mãe firme com Alice. As vezes me culpo de ser firme demais até. Imponho limites que meus pais não colocam. Então por que minha  filha faz as piores birras comigo? 

  Para responder essa pergunta, quero que você pense em um dia bem estressante, em que você teve que manter todo o seu auto controle durante o dia todo e depois desmoronou quando chegou na sua casa, lá na sua cama. Talvez você tenha descontado um pouco do seu stress no seu esposo, talvez na sua própria mãe. Ou talvez apenas chorou lá no seu travesseiro quando todo mundo foi se deitar. Entendeu onde eu quero chegar? 

quarta-feira, 8 de março de 2017

Falando sobre Disciplina Positiva


    Tem uma blogueira de maternidade que eu amo que diz sempre: "Maternar, não é uma pracinha!" kkk' É gente o bagulho é louco. Tiro, porrada e bomba! Quando falamos de educação então a coisa piora e muitas vezes ficamos frustradas por não conseguir educar os nossos filhos da forma que nós queremos. Aqui em casa, tentamos praticar a educação positiva e confesso que minha mãe tem mais sucesso que eu no método! Mas por que é tão difícil educar de forma positiva?
    Minha maior dificuldade com a Disciplina Positiva, foi querer a perfeição, achar que Alice sempre estaria feliz, que ela aprenderia tudo de primeira. Queria ser igual aquelas mães blogueiras sabe, tudo num mar de rosas. Até eu colocar na minha cabeça que as pessoas são diferentes, que eu sou diferente e precisava encontrar a melhor forma de fazer a Disciplina Positiva funcionar aqui em casa.
   As crianças são seres humanos em formação, com sentimentos, dores, tristezas e angustias, igualzinho a nós, adultos. Tem dias que eles acordam mal humorados, cansados, ou estão com alguma dorzinha, fome, etc. Levando em conta que são seres humanos em formação, estão aprendendo como agir, principalmente quando são tirados de seu ambiente de conforto e segurança. Quando colocados em choque com seus sentimentos eles não sabem como lidar e explodem com gritos e as famosas birras. Nós adultos, porém esquecemos que são seres humanos com sentimentos, e acreditamos por muitas vezes que eles precisam agir segundo a nossa vontade, pois acreditamos que esse é o melhor pra eles. Eu sei que quando a coisa tá lá, fora do controle, a criança tá lá fazendo a birra é mais fácil gritar e chamar a atenção repreendendo o comportamento dela, ao invés de tentar entender o que aconteceu para que aquilo estivesse acontecendo. 
  Muitas vezes esse nosso comportamento se reflete à forma como fomos criadas, e isso está enraizado em nós. As pessoas a nossa volta dizem que precisamos impor limites para nossos filhos, que um tapinha não faz mal. Que criança precisa apanhar para receber limites e saber quem manda em casa. Quando falamos de Disciplina Positiva, muitas pessoas entendem que é uma criação permissiva, onde não se imponha limites às crianças. Não é isso meu povo e minha pova. Criança precisa sim de limites, precisa sentir que tem alguém a guiando, ou ela ficará angustiada e perdida sem noção de onde ir. 
   Acredito que eu possa definir a Disciplina Positiva como uma forma de educar com empatia e amor. É entender e atender a necessidade daquele ser, que precisa inteiramente de nós. Por exemplo, em uma birra, antes de gritar, ou forçar a criança com aquele comportamento, tente entender o que à levou aquela atitude. Toda birra é uma reação à algo. Aprendendo a entender os motivos que levaram a criança a tomar aquela atitude drástica, vamos aprender também a prender a nos prevenir essas atitudes. 
   Eu sei que não é fácil principalmente quando estamos cansados, eu noto que as birras da Alice vem sempre acompanhadas de cansaço e sono. Quando ela está cansada e demoro pra ajudar ela a dormir as coisas normalmente saem do controle. Então eu percebi que aos primeiros sinais de cansaço, fazer ela dormir é o melhor pra ela. Está vendo dormir é uma necessidade, e muitas vezes eles não sabem pedir, ou dizer que estão com sono. Então prevenir é sempre o melhor remédio!
Como eu disse, a Disciplina Positiva tem como base o amor e a empatia. isso significa que precisamos nos colocar no lugar do outro. Amar também significa colocar limites e regras, mas tudo isso pode ser feito com muito respeito. Lembre-se que fazer com que a criança sinta respeito por você, vale mais a pena do que fazer com que sinta medo. 
    Ainda falaremos um pouco mais sobre criação positiva no blog...
    Beijos e até a próxima 
Copyright © 2014 | Design e C�digo: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo